Manifestos pedem o fim das deportações em todo os EUA

As deportações separaram muitas famílias
As deportações separaram muitas famílias

Defensores e apoiadores da comunidade imigrante se reuniram no sábado (05) em várias cidades espalhadas pelos Estados Unidos na busca por sensibilizar e pressionar o presidente Barack Obama a pôr um fim às deportações. Ao todo foram mais de 50 manifestações simultâneas intituladas “Dia de Ação”.

Os organizadores afirmaram que o presidente Obama tem o poder de interromper as deportações e evitar que mais imigrantes indocumentados sejam afastados de suas famílias e entes queridos. Em Eloy, no Arizona, mais de 100 manifestantes se dirigiram para a frente do Centro de Detenção de Imigração, depois de viajarem mais de 60 milhas, de Phoenix.

Nattaly Cruz, uma das organizadoras do grupo, afirmou que tem pessoas com parentes neste centro presas há mais de um ano. “Queremos que o presidente Obama e sua administração ouçam e entendam que não queremos e não podemos permitir mais separações das famílias”, disse.

Nattaly entrou os EUA ilegalmente quando tinha apenas oito anos de idade, junto dos seus pais. “É triste ver uma família que vai para a cama todas as noites e sempre falta alguém”, continua.

Os manifestantes caminharam com cartazes dizendo “Não mais deportações”. O rali foi monitorado por cinco policiais do Departamento de Polícia de Eloy. O sargento Brian Jerome disse que a manifestação foi pacífica e não houve prisões.

Âmbar Cargile, uma porta-voz da ICE em Phoenix, afirmou que a agência respeita os direitos das pessoas para protestar do lado de fora de suas instalações. “Enquanto esperamos o Congresso aprovar uma reforma nas leis de imigração, o ICE continuará empenhado, de maneira mais humana, a aplicar as leis, incluindo apreendendo criminosos condenados na fronteira ao tentar entrar ilegalmente nos Estados Unidos”, disse.

Mais de 50 pessoas, incluindo famílias com crianças, se reuniram na frente de um escritório federal de imigração em New York. Entre eles estava Humayun Chowdhury, um motorista de táxi, de 47 anos de idade, que foi separado de sua família por 14 meses há algum tempo.

Chowdhury agora tem uma licença para trabalhar nos EUA e tenho esperanças de obter um Green Card no futuro. Seu filho tinha 11 anos de idade quando as autoridades de imigração efetuaram a prisão de seu pai.  “Tudo era uma confusão. Tivemos problemas para conseguir alimentos. Minha mãe chorava o tempo todo. Nós tivemos que vender nosso carro para conseguir dinheiro”, disse Maheen Chowdhury, que nasceu em os EUA e agora tem 14 anos.

Em Hartford, Connecticut, dezenas de imigrantes protestaram na frente de um prédio federal após um rali que passou por 11 cidades em todo o estado. Muitos dizem estavam irritados pela recusa dos republicanos, no Congresso, em apoiar uma reforma imigratória. Entre os manifestantes estava Jasmine Mendoza, de Norwalk, cujo marido foi deportado depois de ser parado em uma blitz de rotina feita pela polícia. Ela disse que está criando o seu filho de oito meses de idade sozinha.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s